Museu de Arqueologia do Rio São Francisco

Após o término do passeio de barcos pelos Cânions do Velho Chico, já que estamos ao lado dele, porque não entrar e conhecer o MAX, – Museu de Arqueologia de Xingó focado no fenômeno humano e sua existência, procurando entendê-la para sua reconstituição, aproximando a tradição da modernidade.
A construção da Usina Hidrelétrica de Xingó levou a Universidade Federal de Sergipe e a CHESF a desenvolver um projeto de salvamento arqueológico em toda a área que seria inundada pelo reservatório da usina.
O MAX, atualmente em sua reserva técnica, dispõe de um acervo de mais de 50.000 peças e vestígios, e suas exposições refletem parte desse acervo, em propostas expográficas.
O MAX hoje é mais do que um registro das pesquisas arqueológicas realizadas em Xingó, é também, uma ação educativa, experiência que visa mostrar conteúdos da Pré-História, socializar o conhecimento resultante das pesquisas arqueológicas e formar uma consciência crítica acerca da preservação e valorização do patrimônio cultural.
Compreender o povo brasileiro pressupõe o conhecimento de suas raízes. Com suas pesquizas e exposições, o Museu de Arqueologia de Xingó dá uma parcela de contribuição para esse conhecimento.
No dia seguinte, fomos informados de um passeio para conhecer o local onde Lampião e seu bando, foram mortos, uma caminhada longa e cheias de ladeiras e com estradas com bastante obstáculos para pessoa da Melhor Idade (+60), até o local denominado de Grota do Angico.
Já em casa, vasculhando em  blogs para saber quem fez essa caminhada, encontrei no – Matraqueando – , uma postagem completíssima sobre a Rota do Cangaço!
Informações detalhas, visite o site oficial do Museu de Arqueologia de Xingó –   MUSEU MAX  
Nossa hospedagem, foi na cidade de Piranhas, estado de Alagoas e por ficar mais próxima da hidrelétrica e dos passeios pretendidos. A cidade de Piranhas é um encanto, ao lado do Velho Chico e com diversas opções de restaurantes, boas Pousadas e Hotéis.
Visite o Nordeste e conheça suas tradições, seu povo, cultura, sua gastronomia e seus encantos.
Fotos próprias:

DSC09159

DSC09172

DSC09156

DSC09149
DSC09145

Mapa do Destino

4 respostas para “Museu de Arqueologia do Rio São Francisco”

  1. Sr Walter “é como a noite desse dia inquieto que se chama vida.” Inquieto por conhecimento, descobertas e novidades…não bastasse isso, proporciona aos outros a alegria e o prazer do conhecimento que adquire em meio a sua inquietude, busca pelo novo…
    Valeu Sr Walter! Pessoa muito do bemmmmm….

  2. Fiquei encantada, adoro a parte cultural das viagens. Vou marcar na minha listinha de ‘lugares para conhecer antes de morrer”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *