Recife, a “Veneza” do Nordeste do Brasil.

Alguns a chamam de “A Veneza Brasileira” em função da quantidade de pontes que interligam os diversos pontos do centro histórico da capital Pernambucana. Todas elas, mais de 15 pontes, sobre o Rio Capibaribe, interligando desde a bacia portuária no bairro de Santo Antônio até a ilha de Recife, fazendo charme e beleza a ponto dessa região pareça com as ilhas da Veneza Italiana.

Passear e conhecer alguns pontos históricos dessa região, não foi fácil para esse casal da Melhor Idade (andar à pé), pois, as ruas, calçadas e praças do centro histórico estão sujos e cheios de buracos. Para andar a pé, recomendamos calçados confortáveis e usar protetor solar durante o dia. Mesmo assim, encontrar edificações de fins do século XVII e início do século XX, foi como entrar num museu à céu aberto expondo casarões e prédios de diferentes momentos da história de Recife e do Brasil.

Nossa primeira parada foi na Praça da Republica, tendo como centro das atenções, além dos jardins com traços do paisagista Burle Marx, um centenário pé de Baobá e nas vizinhanças, o Palácio do Campo das Princesas (1841), sede administrativa de Pernambuco, o espetacular Teatro de Santa Isabel, de arquitetura neoclássica do século XIX (1850) e do outro lado, construído em 1930, o Palácio da Justiça, sede do poder judiciário de Pernambuco – Tribunal de Justiça do Estado.

Se você chegou até aqui, pedimos que vá até o final dessa postagem que vai de encontro com as principais fotos que tiramos durante nosso tour.

As melhores dicas de Hotéis em Recife, você só encontra aqui o Booking.Com!

Recife Recife 4 Recife 5 recife 7 recife 8 Recife 9

Ainda não visitado por nós, no mesmo bairro de Santo Antônio, o visitante poderá visitar algumas das mais de 10 igrejas existentes no bairro, dentre as principais, podemos destacar: Museu Franciscano de Arte Sacra, (1696) na Rua do Imperador, a Basílica e Convento de Nossa Senhora do Carmo, construída entre 1687 e 1767, A Igreja de Santa Tereza da Ordem Terceiro do Carmo, de 1700 e 1837, A Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Militares e o Prédio da antiga Detenção de Recife, hoje funcionando a Casa da Cultura.

Com alguma dificuldade de transito, atravessamos a Ponte Maurício de Nassau (1640), considerada a mais antiga ponte da América Latina e aí, chegamos à Praça mais famosa da capital Pernambucana, Praça Rio Branco, mais conhecido como “Marco Zero”. Além do marco zero, encontramos um pequeno monumento com o busto que homenageia o Barão do Rio Branco, imagem que contempla no horizonte, o estuário do porto, formado pelo Rio Capibaribe e protegido por um Dique Natural (paredão) com aproximadamente em quatro quilômetros de extensão, onde o ceramista e artista Francisco Brennand, construiu o Parque das Esculturas, são diversas obras espalhadas sobre esse Dique e tendo ao centro, uma coluna com 32 metros de altura, inspirada em uma flor – descoberta do paisagista Burle Marx. A poucos passos do marco zero, encontra-se o Armazém 11 – Centro de Artesanato de Pernambuco, local ideal para pequenas compras.

Marco Zero 1 marco zero 3 marco zero 5

No dia seguinte, já pela 2ª vez, fomos direto para dois pontos turísticos existentes em Recife, que ao nosso olhar, nenhum turista poderá deixar de conhecer, o primeiro o Instituto Ricardo Brennand – com obras de arte de diversas épocas e procedências e as diversas esculturas espalhadas pelos quatros cantos dos seus jardins e o segundo ponto, a Oficina Francisco Brennand, localizado também no bairro da Várzea, esse museu surgiu a partir do aproveitamento de uma antiga olaria fundada pelo seu pai em 1917 que estava em ruínas, e agora transformado num colossal projeto de esculturas cerâmicas.

Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Museu e Oficina Brennand
Museu e Oficina Brennand
Museu e Oficina Brennand
Museu e Oficina Brennand
Museu e Oficina Brennand
Museu e Oficina Brennand

Para encerrar nossa visita a cidade do Recife, como é de praxe e não podia deixar de ser, fomos conferir as vitrines das lojas nos dois maiores Shopping Center da cidade e antes de partirmos para o hotel, aquela cervejinha gelada acompanhada de um delicioso petisco.

DSC03938 DSC03939

4 comentários em “Recife, a “Veneza” do Nordeste do Brasil.

  1. Visitiei o Recife somente por um dia, sei que fiquei maravilhado com uma cidade linda, as memorias foram poucas e a visita merecia bem mais tempo. As suas fotos deram-me vontade de voltar voando para lá e descobrir tudo aquilo que ficou por ver. parabens

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *