O Panthéon de Paris e a perpetuação de homens ilustres

O Panthéon de Paris.

Visitar o Panthéon de Paris foi um dos melhores achados em se tratando de perpetuar a memoria de homens ilustres e que, geralmente, contêm na sua cripta, seus restos mortais.

Foi um achado porque estávamos fazendo uma espécie de piquenique pelos Jardins de Luxemburgo que fica bem pertinho e de um determinado ponto, avistamos aquela monumental cúpula tendo na sua fachada principal um grupo de colunas de estilo coríntio como se estivesse apoiando o edifício como um todo.

Sua grandiosidade:

Quando chegamos no Panthéon, foi que demos conta da sua imponente e de grandiosidade importância para a história da França e da humanidade. Pagamos 12,00 euros naquele dia para o casal, não tivemos descontos para Melhor Idade (+60), mas, valeu o Custo x Benefício.  O edifício do Panthéon é em forma de uma Cruz Grega, é tão grande sua edificação que logo fomos descobrir em seus folhetos alguns dados dessa grandiosidade: 110 metros de comprimento por 85 de largura, as 22 colunas na sua fachada impressionam até mesmo quem está distante e sua cúpula mede 83 metros de altura e no seu topo tem um lanternim (base iluminada que sustenta a cruz).

Seu interior:

Todo o seu interior é decorado com diversas pinturas de artistas famosos da época e na sua grande cripta, que cobre toda a superfície do edifício, a pátria conserva os túmulos de seus heróis, entre eles, encontramos Victor Hugo, Voltarie, Jean Monnet e Pierre Currie, são mais de 70 ilustres personagens da historia da França, na maioria, políticos, escritores e cientistas. Entre os célebres ali sepultados, descobrimos que a primeira mulher a receber essa homenagem, foi Sophia Berthelot, só para ficar ao lado do marido Marcellin Berthelot. Naquele momento, foi considerada uma grande vitória para as mulheres da época.

Pelos grandes corredores do Panteão, a gente encontrou diversas criptas de vultos famosos da história da França!

Curiosidade:

O Primeiro ilustre a ser sepultado no Panteão de Paris, foi o Jornalista, escritor e político Gabriel Riquet de Mirabeu, em 25 de Novembro do ano de 1791, vieram outros e mais outros e o último, em 06 de Abril de 2011, foi a vez de Aimé Césaire, Poeta, Dramaturgo e Político da Negritude.

O Pêndulo de Foucault.

Durante nossa visita ao Panthéon de Paris, uma das melhores descobertas e uma incrível surpresa foi ao chegarmos ao centro da grande cúpula e encontrar pendurado num cabo de aço (55 metros de altura) uma bola na cor de ouro, girando de um lado para o outro e dando voltas para provar que a terra roda em torno de um eixo. Essa experiência é do astrônomo Jean Bernard Foucault, realizada em 1851. Gente, aqui fiquei mais tempo contemplando essa beleza tecnológica!

Mais informações no site do Panthéon de Paris.

O Panthéon está localizado na Prace du Ponthéon, 5e, nas proximidade do Parque e Jardim de Luxemburgo.

Confira tembém:

Jardins de Luxemburgo, um dos nossos favorito quando estamos em Paris, principalmente, para passar um final de tarde desde que não esteja chovendo. É fazer um piquenique mesmo, deitar no gramado, fazer lanche nos bancos dos jardins e espiar os diversos turistas com seus modelitos tirando fotos etc. É muito legal. O metrô fica ao lado, entre o Parque Luxemburgo e o Panthéon.

Nosso lanche durante o piquenique nos Jardins de Luxemburgo.

Dicas sobre a Torre Eiffel antes de você chegar lá.

Dicas para quem ainda não conhece a Basílica de Sacré-Coeur.

Como é pegar o metrô errado e chegar num lugar lindo.

Dicas de Hotéis na cidade de Paris.

“Realizar sonhos é o nosso objetivo”

“Viajar é a maior clínica médica do mundo, é o Melhor Remédio que existe para a Melhor Idade”

Mapa do Destino

Uma resposta para “O Panthéon de Paris e a perpetuação de homens ilustres”

  1. Não visitei o interior, vai ter que ficar para a próxima viagem a Paris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *